Exposição não consentida de conteúdos íntimos: questão de gênero

Autores

  • Jhon Lisbino Faculdade Estácio de Teresina - PI

Palavras-chave:

imagem íntima, identidade de gênero, violência, consentimento explícito, criminologia, avanço tecnológico, internet

Resumo

A estrutura social é continuamente alterada pela franca evolução tecnológica com modificações geradoras de novos comportamentos, algumas vezes, nocivos. O desafio para o Direito e a Criminologia é investigar tais comportamentos inapropriados, mediante prevenção e punição de condutas tipificadas como criminosas. Dentre elas, destaque para a exposição não consentida de conteúdos íntimos, a qual vem crescendo vertiginosamente com a expansão do espaço virtual e suas múltiplas potencialidades, o que justifica a motivação deste estudo, cujo objetivo macro é analisar, de forma acurada, esses desvios de conduta. Metodologicamente, o estudo recorre ao método quanti-qualitativo, partindo, a princípio, de conceitos teóricos resultantes de pesquisa bibliográfica e de revisão de literatura. Sustenta-se a premissa hipotética de que a prática de divulgar conteúdos íntimos sem o consentimento da pessoa exposta representa, quase sempre, a assunção da violência de gênero em novo formato, haja vista que a maioria das vítimas é do gênero feminino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jhon Lisbino, Faculdade Estácio de Teresina - PI

Finalizando o mestrado em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa, em Porto, Portugal (informação passada por email em 04/10/21).

Professor universitário há 6 anos na Faculdade Estácio de Teresina com passagem pela Universidade Estadual do Piauí.

Downloads

Publicado

2022-04-29

Como Citar

LISBINO, J. Exposição não consentida de conteúdos íntimos: questão de gênero. Revista do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, [S. l.], v. 34, n. 1, p. 15–35, 2022. Disponível em: https://revista.trf1.jus.br/trf1/article/view/349. Acesso em: 19 maio. 2022.