Estéticas (neo)marxistas II: Habermas e o discurso literário da modernidade

Autores

  • Guilherme Gonçalves Alcântara Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

direito, obra artística, obra literária, comunicação

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa de revisão bibliográfica cujo objetivo foi mapear o lugar da arte, e sobretudo da literatura, na teoria social de Jürgen Habermas, visando contribuir para a elaboração de aportes teórico-metodológicos aos estudos e pesquisas em direito e literatura. A principal conclusão diz respeito à necessidade de se repensar o paradigma surrealista destas pesquisas, as quais se aproximam daquilo que Habermas chamou de estratégia de hibernação típica da primeira geração da Escola de Frankfurt, bem como deslocar o foco de tais estudos para o modo de recepção das obras literárias, antes que na sua autoria ou na obra mesma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Gonçalves Alcântara, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando em direito pela UFMG. Mestre em fundamentos e efetividade do
direito pelo Centro Universitário UniFG (UniFG/BA).

Downloads

Publicado

31-08-2023

Como Citar

ALCÂNTARA, G. G. Estéticas (neo)marxistas II: Habermas e o discurso literário da modernidade. Revista do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, [S. l.], v. 35, n. 2, p. 187–204, 2023. Disponível em: https://revista.trf1.jus.br/trf1/article/view/483. Acesso em: 22 fev. 2024.